COI elogia desempenho na gestão financeira e boa governança do COC em auditoria realizada de 2016 a 2019


O Comité Olímpico Internacional (COI), cuja sede se situa em Lausanne, na Suíça, concluiu a auditoria realizada quadrienalmente ao Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC), no que diz respeito ao período de 2016 a 2019, com elogios à sua performance financeira e alinhada com os princípios de boa governança nas atividades realizadas durante este período.


A auditoria que foi operacionalizada pela reputada consultora internacional PricewaterhouseCoopers (PWC), no período compreendido, na qual avaliou a realização de atividades que vão desde as formações de agentes desportivos, a participações em competições internacionais até ao apoio na realização dos primeiros Jogos Africanos de Praia, realizados em junho de 2019, tendo este sido o evento de maior dimensão já realizado em Cabo Verde.

“Por fim, gostaríamos de destacar o fato de que ao comparar os resultados deste controlo com o anterior realizado em 2016, o seu Comité demonstrou grandes melhorias na sua gestão financeira. Estamos muito satisfeitos com essas mudanças positivas e gostaríamos de parabenizar seu Comité pelo seu árduo trabalho em garantir que suas políticas financeiras internas estejam alinhadas com os princípios de boa governança”, são as conclusões finais da carta enviada pela entidade internacional ao COC.

O COI destaca assim um percurso exemplar do COC, que tem trabalhado para constantemente estabelecer melhorias a nível de organização interna. Como forma de premiar os Comités Olímpicos Nacionais que conseguiram cumprir este nível de avaliação, o COI decidiu atribuir mais 15 000 dólares anuais adicionais, para investimento na área administrativa e reforço dos procedimentos de boa governação dos Comités beneficiados, sendo o caso do COC.

Com esta carta, o COI quis demonstrar mais uma vez a confiança nos atos liderados pela presidente do COC – Filomena Fortes, que tem nos últimos anos conquistado lugares de destaque na liderança de organizações internacionais, como é o caso da mais recente reeleição para o Cargo de Vice-Presidente da Zona II da Associação de Comités Olímpicos Africanos (ACNOA).
Carla Alfama (COC)


Print   Email