CAN’2022: Selecção nacional inicia estágio para Camarões a 26 de Dezembro – Plano orçamental ultrapassa os 30 mil contos


A selecção cabo-verdiana de futebol inicia a sua preparação para o Campeonato Africano das Nações, CAN’2022, a 26 de Dezembro, tendo já a FCF apresentado um orçamento avaliado em mais de 30 mil contos para a participação.


Esta garantia foi avançada esta tarde à Inforpress pelo presidente da FCF, Mário Semedo, no final de um encontro de trabalho com o presidente do conselho directivo do Instituto do Desporto e da Juventude (IDJ), Frederic MBassa, que o mesmo considerou de “muito positivo” e que serviu para as partes “passarem em revista um conjunto de situações”.

Do encontro, que teve como objectivo principal a próxima participação de Cabo Verde no Campeonato Africano das Nações, CAN’2022, a FCF apresentou o plano de preparação e o orçamento para o maior evento futebolístico, no qual ficou firmado o compromisso do IDJ e do Governo.

“É fundamental o compromisso do Governo. Em Cabo Verde ainda, o Governo tem que entrar porque as federações não têm sozinhas a capacidade para auto financiarem, porque são montantes que não estão ao nosso alcance”, referiu Semedo, adiantando que a anteceder a concentração dos Tubarões Azuis, a FCF vai arrancar com um conjunto de actividades, a 15 do mês em curso.

Considerando o CAN como a maior montra do futebol africano e possivelmente do desporto do continente, Mário Semedo disse encarar esta terceira participação de Cabo Verde como mais um “desígnio nacional”, em que a selecção terá de ter todas as condições para representar, de forma condigna, o país.

Realçou que para além do Governo, a FCF tem estado a contactar, naturalmente outros parceiros, alegando que a qualificação atempada para Camarões, desde 29 de Março, permitiu ao organismo que rege o futebol cabo-verdiano ter uma margem de manobra e que “em alguns casos têm havido respostas positivas, ainda que nada de concreto”.

O CAN realiza-se de 09 de Janeiro a 06 de Fevereiro de 2022, nos Camarões, altura em que as ligas internacionais estarão em plena competição, mas Semedo disse acreditar Cabo Verde não terá problemas com a dispensa dos jogadores, embora reconheça que tem “havido uma posição pouco solidária dos clubes e treinadores europeus”.

Nesta perpectiva, espera que a Confederação Africana de Futebol (CAF) imponha a sua força, de forma a defender os seus interesses.

A ideia, explicou, é que os jogadores africanos que militam nos clubes estrangeiros, sobretudo europeus, possam representar os seus países.

A 33.ª edição da Taça das Nações Africanas estava marcada para 2021, mas acabou por ser adiada para 2022 – apesar de manter a designação CAN2021 – para não coincidir com a Copa América e o Euro’2020, que foram adiados, devido à pandemia de covid-19.

Cabo Verde partilha o Grupo A com as selecções nacionais da Etiópia, do Burquina Faso e dos anfitriões dos Camarões.
SR/JMV
Inforpress


Print   Email

         

Mais de 10 anos com os desportistas cabo-verdianos

 

 

 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.
 

SUBSCREVER AS NOSSAS NEWSLETTERS

Ao subscrever, tomo conhecimento que as newsletter poderão conter publicidade.