O seleccionador de Cabo Verde mostrou-se hoje desiludido pela forma como Cabo Verde falhou o acesso ao CAN’2019 no empate caseiro (0-0) com Uganda, mas disse que o seu conjunto fez tudo para “pelo menos vencer o jogo”.


Rui Águas lamentou as oportunidades desperdiçadas pelos seus atletas para corresponder a resposta dos espectadores, mas mostrou-se convicto de que os pontos perdidos em casa foram determinantes para a eliminação de Cabo Verde da fase final do Campeonato Africano das Nações, a ser disputado no Egipto.

Disse que Uganda, vencedor do grupo L, soube esperar a partir do resultado inesperado alcançado em Cabo Verde (vitória), mas que o combinado crioulo “podia e devia ter feito muito mais” neste grupo de apuramento, tendo reconhecido que a sua equipa arriscou demasiadamente em algumas partidas.

“O segundo jogo com a Tanzânia, lá, foi decisivo”, lamentou Águas, que se diz consciente da realidade e das limitações diferentes entre os dois países, pois que enquanto os tanzanianos descansaram depois do jogo na Cidade da Praia, Cabo Verde teve de fazer um périplo com escalas em Lisboa e Dubay, quando, a seu ver, é muito importante o descanso em jogos de 72 horas de diferença.

Fez questão e endereçar os seus parabéns ao Uganda e a Tanzânia, sublinhando que Cabo Verde “passou por vários problemas, que, entretanto, não interessa desculpar-se com isto ou com aquilo”, mas que resta à selecção nacional concentrar-se não só no imediato, mas também no que vem a seguir, como a qualificação para o Mundial.

Enquanto isto, o seleccionador do Lesoto reconhece que Cabo Verde soube desmontar o esquema com o qual pretendeu empregar fora de portas, mas recusou a ideia de que o seu conjunto veio com a estratégia de jogar na defensiva.

Moses Maliehe disse que os seus jogadores tentaram fazer o seu jogo na primeira etapa e que por dificuldades encontradas foram obrigados a “recuar bastante”, por causa da “forte selecção de Cabo Verde” que, disse, obrigou o seu conjunto a jogar atrás da linha da bola, mas que queria fazer pelo menos um golo.

Com este empate, tanto Cabo Verde como Lesoto falharam o acesso à fase final da 32ª edição do CAN, ao passo que Tanzânia, ao golear Uganda por 3-0, juntou-se aos ugandeses como representantes do Grupo L no Egipto.
Inforpress