A selecção da Brava conquistou a 3ª Edição da Taça Inter-Ilhas em futebol, ao vencer a Ilha do Fogo, por 2-1, na final disputada no Rocky Marciano Stadium, em Brockton, Massachusetts.


A vitória dos bravenses começou com um golo madrugador. Adiantaram-se no marcador aos 8 minutos. Eddie na marcação de um livre direto, em posição frontal, colocou o esférico no ângulo superior esquerdo, fora do alcance do guarda-redes adversário, para o delírio do público da Ilha das Flores.

Este golo despertou ainda mais o jogo e aos 9 minutos Brava volta a marcar 2-0 por intermédio de Sergio após aproveitar uma hesitação entre o central e o guarda-redes foguense.

A jogada nasceu de um passe para a frente do guardião. Em cima da linha do golo o ponta de lança empurrou para a rede. 2-0 um resultado que conseguiram segurar até ao final da primeira parte, revelando maior maturidade, perante uma seleção do Fogo aguerrida, mas sem suficiente "poder de fogo".

Na segunda parte, Brava perdeu gás, Fogo ganhou ascendente e dominou a partida. A equipa comandada pelo técnico Né reduziu através do médio Tô, aos 56, na marcação de uma grande penalidade.

A turma do Fogo ficou reduzida a dez jogadores aos 60 minutos de jogo, por expulsão de Ronaldinho. O médio viu um cartão vermelho, por agressão à um adversário.

Mesmo com menos um elemento os Foguenses dominaram a etapa complementar obrigando o guarda redes Xibity a duas grandes defesas de jogadas que levavam selos de golo, aos 80 minutos e 88.

Depois da partida Ernesto, treinador da selecção da Brava transpirava de felicidade, mas reconheceu a qualidade do adversário. "Fogo foi e é sempre um bom adversário com grandes jogadores como Tô, mas não viemos aqui somente para participar. Tinhamos que ganhar este torneio. Viemos determinados e conseguimos vencer", enalteceu.

Já o treinador Né da Seleção do Fogo reconhece o combinado da Brava como um justo vencedor. "Entramos com muita ansiedade nesse e sofremos dois golos em poucos minutos, futebol é assim. Entramos mal e a Brava aproveitou. Apesar de dominarmos os 90 minutos. Brava é um justo vencedor. O resultado "está certo".

Antes do desafio da final, na do terceiro e quarto classificado desta 3ª Edição da Taça Inter-Ilhas em futebol, a selecção de Santiago ganhou São Nicolau, por 3-1 com golos de Rô e Kelly que bisou. Ederrick marcou para São Nicolau.

Os melhores da 3ª Edição da Taça Inter-Ilhas - 2019:
Melhor treinador: Ernesto (Brava); Melhor jogador: Tô (Fogo); Melhor guarda-redes: Xibety (Brava); Melhor marcador: Ró (Santiago); Jogador revelação: Dany Monteiro (Brava); Melhor delegado: Milton Andrade (São Nicolau); Melhores árbitros: Bino Semedo, Orlando Ribeiro e Bibito Araújo.

Silva Ramos