O Comité Olímpico Cabo-verdiano (COC) aproveita as celebrações do 31º aniversário da sua criação, esta sexta-feira, para homenagear algumas personalidades ligadas ao Movimento Olímpico e ao Desporto no país, para além da plantação de árvore no Jardim Olímpico.


Dado à situação da pandemia do coronavírus da covid-19, o COC vai homenagear em “cerimónia intimista” o presidente da Academia Olímpica de Cabo Verde, Orlando Mascarenhas, e o chefe da missão de Cabo Verde aos Jogos de Tokyo’2020, Leonardo Cunha, este com vasta experiência junto dos grandes eventos desportivos de carácter olímpico.
Orlando José Mascarenhas, 85 anos, antigo futebolista do Sporting Clube da Praia, passou toda a sua vida ligada ao desporto, tendo na sua juventude fundado o Benfiquinha, na Cidade da Praia, ainda criança, constituído por jogadores de diversos subúrbios, para posteriormente transitar-se para o Rápido Clube da Praia, equipa que viria a ser transformada no actual clube leonino da capital.
No Sporting da Praia, Orlando José Mascarenhas fazia de tudo, tendo sido ainda treinador e presidente da direcção deste clube dos mais emblemáticos e titulados do País.
Como dirigente desempenhou ainda as funções do presidente da Associação Regional de Futebol de Santiago Sul (ARFSS) de 1989 a 1991 e da Federação Cabo-verdiana de Futebol de 1991 a 1993, período durante o qual alistou o futebol cabo-verdiano na Confederação Africana de Futebol (CAF) e consequentemente nas provas africanas a nível de clubes campeões.
Em declaração à Inforpress, Mascarenhas, que também assumiu a Comissão de Ética do COC, disse ter recebido com agrado esta homenagem, alegando ter uma atenção muito grande por esta organização, pela sua presidente e colaboradores.
Afiançou que tem participado com muito interesse, empenho e dedicação, nas nessas funções e que deixou uma base para definição dos valores éticos olímpicos.
“É evidente que uma homenagem desta é sempre uma alegria bastante grande porque se vê o reconhecimento do trabalho feito. Para mim, é sempre importante a valorização do trabalho da forma como uma pessoa enfrenta estes desafios, o que para mim é sempre importante”, realçou Orlando Mascarenhas.
A organização garante que durante o evento será salvaguardada todas as medidas de protecção e distanciamento, recomendadas pelas autoridades sanitárias, neste quadro da pandemia da covid-19.
Já a cerimónia de plantação de árvore no para o Jardim Olímpico no Estádio Nacional, que está a ser projectada para ser uma marca do tempo difícil por que o mundo atravessa, devido à pandemia do Covid-19, “mas também um sinal de luta e esperança na restauração da normalidade”, acontece às 16:30 desta sexta-feira.
SR/JMV
Inforpress