Nascido na Ilha do Fogo, no dia 19 de Janeiro de 1961, Mário Alberto Gonçalves Gomes, ou simplesmente Mário, saiu cedo de Cabo Verde, aos 3 anos, para residir em Angola.


Deu os seus primeiros toques na bola na escola de formação da Juventude Atlético Mochico.

Após a revolução de 25 de Abril  de 1974, passou por Lisboa, em trânsito para Cabo Verde, onde representou por 1 (um) ano o Acadêmico de S. Vicente.

De regresso a Portugal passou a representar as camadas jovens do Benfica em 1976/77, permanecendo até 1978-79.

Um médio muito técnico, com uma boa leitura de jogo e que marcava muitos golos, um “patrão” dentro das quatro linhas, passou a representar o Olhanense, onde jogou as épocas 1980/81 e 1982/83, com um intervalo pelo Torreense em 1981/82.

Com a equipa do Olhanense foi o segundo marcador da segunda divisão numa temporada com 8 golos. Conquistou ainda a Taça Algarve.

Em 1983/84, transferiu-se para o Barreirense, que representou por duas épocas , 1983/84 e 1984/85, mudando-se para o Leixões, para mais dois anos, 1985/86 e 1986/87.

Seguiu-se o Elvas, em 1987/88 e 1988/89.

Em 1989/90, jogou pelo Estrela da Amadora.

No equipa da Amadora foi convidado, juntamente com o outro estrela cabo-verdiano do clube, Baroty, para representar a seleção de Cabo Verde, mas o treinador do clube na altura, o Mister João Alves, não permitiu a saida dos jogadores, pois o clube estava fincado na Taça de Portugal , com o fim de ganhá-la o que veio a acontecer.

Em 1990/91, passou a representar o Fafe.

Mudou-se para Torres Novas, em 1991/92.

Terminou a carreira no Lusitânia dos Açores, na temporada de 1992/93.

Vive atualmente nos EUA.

ADP
CrioloSports