José Rocha Fernandes faleceu, aos 61 anos, vítima de um enfarte agudo de miocárdio, no dia 26 de Julho de 2015, na localidade de Pedra de Lume, na ilha do Sal.


Considerado um dos melhores guarda-redes de futebol de todos os tempos de Cabo Verde, uma lenda do futebol cabo-verdiano, Djô de Pedra de Lume, alcunha derivado á localidade que o viu nascer, foi internacional pela seleção, tendo feito parte da 1.ª seleção de futebol de Cabo Verde como Nação independente na sua primeira aventura na Guiné-Bissau, em 1978, frente à Guiné-Conakry, a contar para a Taça Amizade.

Defendeu ainda as cores da seleção regional do Sal e envergou as camisolas dos clubes Académico do Aeroporto do Sal, Juventude, Académica, Verdun, Boa Vista da Praia e Ribeira Bote de São Vicente.

Um atleta com condições excepcionais que poderia ter ido muito mais longe no futebol, conforme recorda Alcides Brito, que foi colega de equipa do ex guarda-redes no Académico e na seleção do Sal.

Djô de Pedra de Lume, que também se destacou em equipas de futebol de salão no Sal, modalidade em que era praticamente impossível marcar-lhe um golo, era ainda referenciado como um avançado esquerdino que se destacava nos chamados “jogos de fraldas”, realizados nos subúrbios, pela sua velocidade e seu remate.

Amputado de uma perna, Djô viria a falecer num dos sítios que mais adorava passar o tempo e, curiosamente, entre duas balizas.
ADP