Na sequência da decisão do Conselho Jurisdicional da Associação Regional de Futebol de Santiago Norte que penalizou o AJAC com a retirada de três pontos e uma multa de 20 mil escudos, por uso irregular de Marco Aurélio, no jogo da 16ª jornada, num protesto feito pelo Benfica de Santa Cruz, o Ajac de Calheta emitiu um comunicado mostrando descontente com a decisão  e pedindo que a justiça desportiva seja reposta.


Recordamos que a equipa da Calheta perdeu 3 pontos na Secretaria e Benfica de Santa Cruz sagrou-se campeão regional de Santiago Norte.

Eis o comunicado:
“ COMUNICAÇÃO DA AJAC SOBRE A DECISÃO DA ARFISN
Depois de muito esforço e muito sacrifício, a AJAC, meritoriamente, sagrou-se campeã regional, ganhando direito à participação no campeonato nacional. A AJAC foi a melhor equipa do campeonato como atestam os seguintes indicadores, nos 22 jogos disputados:
- Equipa com mais vitórias – 15;
- Equipa com mais golos marcados – 48;
- Equipa com melhor “goal average” - + 21.
Entretanto, eis que, de repente, depois do último jogo do campeonato regional, num domingo???!!! , 7 de maio, como aliás, já vem sendo prática, nas últimas épocas, uma equipa de Santa Cruz, para não variar, resolve “inventar” um protesto e o Conselho de Disciplina, por coincidência, de Santa Cruz, “inventa” uma deliberação, com base em factos “inventados”, pela Direção da Associação, também de Santa Cruz, com o único propósito de prejudicar a AJAC e beneficiar o Benfica de Santa Cruz.
Vamos aos factos:
Durante a época desportiva, o jogador Marco Aurélio Sanches (nº3) foi admoestado com o cartão amarelo em 2 (dois) jogos, a saber:
- Desportivo de Calheta x AJAC, disputado a 11 de Março de 2017
- AJAC x Estrela dos Amadores, disputado a 25 de Março de 2017
No jogo Varandinha x AJAC, realizado no dia 19 de Março de 2017, o jogador Marco Aurélio Sanches (nº3) não sofreu qualquer sanção disciplinar, portanto, não foi admoestado com nenhum cartão amarelo e o único jogador admoestado com o cartão amarelo foi João David Sanches Pereira (Ebué), (nº13), conforme se pode provar na ficha do jogo do representante da ARF Santiago Norte, Delegado no referido jogo, Srº Cesaltino Correia. Convém esclarecer que a ficha do jogo é o documento onde é anotada todas as incidências disciplinares e outras do encontro e no fim é distribuída uma cópia a cada equipa participante e ao árbitro que a confere com as suas anotações do referido encontro.
Não deixa de ser estranho e, sobretudo, preocupante, que da referida ficha, em triplicado, o único que aparece o nº 3, rasurado e adulterado, é a ficha que estava na posse da Associação, sediada em Santa Cruz, e as fichas que foram entregues às equipas de Varandinha e AJAC, constam o nº13, como o único admoestado com o cartão amarelo.
Assim, o jogador Marco Aurélio Sanches (nº 3) não somou 3 cartões amarelos, por isso, nem a AJAC, nem o referido jogador poderão ser penalizados, pois, não cometeram quaisquer infrações disciplinares.
Lamentamos profundamente, a confirmar-se, este ato grosseiro de falsificação da cópia da ficha em poder da Associação, o que para além de crime, põe em causa a seriedade e a imagem do futebol na nossa região desportiva, que com muito esforço e sacrifício de todos os agentes desportivos lutam para a dignificação e o desenvolvimento do futebol em Santiago Norte.
Por uma questão de respeito e pelo facto do processo estar a correr os seus trâmites, em sede de recurso, junto do Conselho de Justiça da FCF, não iremos produzir aqui os documentos referidos neste comunicado, mas fá-lo-emos, logo que houver a decisão deste Órgão, para que todos possam ajuizar da gravidade da situação.
A Direcção da AJAC espera que a justiça desportiva seja reposta e não descarta a possibilidade de exigir responsabilidades pelos avultados prejuízos causados pelos danos morais e materiais causados.”