O clube do Benfica da Brava inaugurou este domingo, a sua escola de iniciação de futebol, na localidade de Nossa Senhora do Monte, com cerca de 50 alunos inscritos, dos 9 aos 17 anos.


Segundo o presidente do clube António da Lomba, o objectivo, além de formar jogadores, é também proporcionar a realização de algumas acções sociais, em torno destes jovens.
A escola, conforme avançou o dirigente, vai trabalhar em parceria com o Ministério da Educação, no sentido de prestar-lhes algum apoio a nível da educação.
Explicou ainda, que a ideia é fazer com que os alunos não frequentem a escola somente para jogarem ou treinarem futebol, mas que seja um espaço com outras ocupações, como explicações, aulas de inglês, aulas de pintura, como forma de socializar os alunos, mantê-los ocupados com actividades úteis e “livrá-los de enveredar pelos caminhos da droga, alcoolismo e outros males sociais”.
“Sabemos que na nossa sociedade, principalmente os rapazes, estão com muito tempo livre e acabam por entrar em certos vícios, como a droga e o alcoolismo muito cedo, por isso, o nosso trabalho é tentar mudar esta mentalidade”, ajuntou António da Lomba.
Neste sentido, numa primeira fase, pretende-se dar cobertura a crianças e adolescentes, tanto masculino como feminino com idade compreendida entre os 9 aos 17 anos, da freguesia de Nossa Senhora do Monte, e mais tarde, abranger outras localidades.
Questionado sobre as dificuldades que encontraram, António da Lomba avançou que foram vários os desafios tiveram de enfrentar para a materialização do projecto.
Entretanto, o que mais preocupa a direcção do clube neste momento, é a falta de espaço, equipamentos e materiais escolares, para que a vertente social possa funcionar.
O vereador responsável pelo pelouro do Desporto na ilha, Mário Soares, que esteve presente, parabenizou o clube não só pela iniciativa da criação da escola de futebol, mas principalmente por esta escola ter como intuito, minimizar um pouco a “carência social” que existe nesta freguesia e apela a colaboração da comunidade, no sentido de apoiar a escola nesta missão.
A câmara, conforme garantiu o vereador, vai atribuir um subsídio a esta escola, da mesma forma que tem apoiado as outras existentes na ilha.
Inforpress