Eleições na CAF - FCF ainda sem posição oficial quanto à candidatura a apoiar


A Federação Cabo-verdiana de Futebol ainda não tomou uma posição oficial quanto às candidaturas à presidência da CAF, na assembleia-geral de 12 de Março, apesar de o candidato senegalês ter lançado a sua candidatura na Cidade da Praia.


Ao ser abordado pela Inforpress, o líder federativo Mário Semedo esclareceu que ainda a instituição que rege o futebol cabo-verdiano não tomou nenhuma posição oficial sobre isso, recordando que a União das Federações Oeste Africano (UFOA), cuja assembleia-geral ordinária realizou-se sexta e sábado, na Cidade da Praia, tem duas candidaturas concorrentes à CAF.

É que para além do presidente da Federação Senegalesa de Futebol, Augustin Senghor, que  apresentou esta sexta-feira a sua candidatura, a UFOA conta ainda com a candidatura do presidente da Federação de Futebol da República Islâmica da Mauritânia, Ahmed Yahya, para a liderança da Confederação Africana de Futebol (CAF).

“Vai-se dialogando, vai-se discutindo entre nós os presidentes das federações de futebol da UFOA e ver o que será daqui para a frente. O importante é que tenhamos um presidente da CAF que saia da nossa zona, que isto é muito importante pra nós”, especificou.

Mário Semedo considerou, entretanto, que o lançamento da candidatura do presidente da Federação Senegalesa de Futebol para a CAF,  na Cidade da Praia é muito importante para Cabo Verde e para o desporto cabo-verdiano, porque toda a atenção da imprensa africana e mundial está focada na capital cabo-verdiana.

“Como sabemos a CAF tem vindo a estar no meio de um turbilhão e muita atenção neste momento esta virada sobre estas candidaturas. A atenção aqui na Praia tem um simbolismo muito importante. Decorre também da realização desta assembleia-geral. É uma honra e um privilégio termos de ser nós o país a servir do palco do lançamento desta candidatura”, enfatizou.

São quatro candidatos na corrida à cúpula da CAF, pois estão ainda nesta luta o ex-presidente da Federação Marfinense de Futebol, Jacques Anouma, e o presidente da Federação de Futebol da África do Sul, Patrice Motsepe.

A assembleia-geral do Comité Executivo da CAF está prevista para 12 de Março em Rabat (Marrocos), onde serão renovados os cargos de presidente e dos membros do comité executivo desta organização.

O último presidente da CAF eleito, o malgaxe, Ahmad Ahmad, ex-treinador de futebol e antigo secretário de Estado do Desporto e ministro das Pescas de Madagáscar, encontra-se suspenso por cinco anos pela FIFA “por ilícitos financeiros, entre os quais desvio de fundos” razão pela qual não pode concorrer a um segundo mandato consecutivo.

A Comissão de Ética da FIFA aplicou ainda a Ahmad Ahmad, que também é vice-presidente da FIFA, uma multa de 200 mil francos suíços (cerca de 20 mil contos cabo-verdianos).
SR/HF
Inforpress


Print   Email