CAN2021: Insólito! Árbitro acaba jogo antes do tempo… duas vezes. CAF ordena reinício, Tunísia recusa voltar

CAN Hits: 632



Confusão no Mali-Tunísia, encontro da 1ª jornada do Grupo F da Taça das Nações Africanas.


O árbitro Janny Sikazwe, da Zâmbia, foi um dos protagonistas do jogo, pelos piores motivos.

O juiz apitou para o final do jogo aos… 85 minutos. Perante a estupefação de toda a gente, voltou atrás e deixou o encontro decorrer mais alguns minutos para o terminar aos… 89.

Apesar das nove substituições operadas no segundo tempo, de duas paragens para ir ao VAR e de uma paragem para reidratação, o árbitro não deu qualquer minuto de desconto, terminando mesmo o jogo antes dos 90.

Os jogadores e staff técnico da Tunísia ficaram incrédulos com a situação, uma vez que estavam à procura de, pelo menos, empatar.

Os malianos venceram por 1-0, golo de grande penalidade convertida por Ibrahima Kone, aos 48 minutos.

Os tunisinos poderiam ter empatado mas Khazri, uma das estrelas da equipa, falhou uma grande penalidade no segundo tempo, ao permitir a defesa do guardião Ibrahim Mounkoro.

Na grande penalidade a favor da Tunísia, Janny Sikazwe só marcou depois de rever as imagens no monitor, após ser alertado pelo VAR por uma mão na bola na área dos malianos.

Depois também consultou o VAR para rever as imagens e manter a sua decisão de expulsar El Bilal Toure, do Mali aos 87 minutos, com vermelho direto, após entrada dura sobre um contrário.

No entanto, pelas imagens, dá para ver que o lance seria, no máximo, para cartão amarelo. O árbitro assim não entendeu.

Quando se esperava que o insólito já estava resolvido, eis que ganha vida. A CAF ordenou que fossem jogado os restantes minutos mas a Tunísia recusou.

De acordo com relatos desde os Camarões, a Confederação Africana de Futebol interrompeu a conferência de imprensa de análise do jogo por parte de Mohamed Magassouba, selecionador do Mali, para o informar que o encontro seria retomado para se jogar os minutos que faltava. Uma decisão que enfureceu o homem que comanda o Mali.

O jogo seria retomado para se jogar os minutos que faltavam mas seria o quatro árbitro a dirigir o que faltava e não Janny Sikazwe.

No entanto, a Tunísia recusou-se a subir ao relvado do Limbe Omnisport Stadium, onde já estavam os jogadores do Mali.

De acordo com o jornalista Saddick Adams (Twitter), os tunisinos não compareceram porque estão a preparar um protesto do jogo junto da CAF.  

Perante a recusa da Tunísia em regressar ao campo, a organização da prova declarou o Mali como vencedor.
lusa

Print