São seis milhões ou nada. O Fenerbahçe não está disposto a aceitar uma cláusula de compra obrigatória de Zé Luís de 8 milhões de euros e começa a olhar para outros alvos para o ataque, mas sem deixarem cair completamente o negócio com o cabo-verdiano.


Os turcos tinham todos os detalhes da operação combinada como agente do jogador. Três anos de contrato, sendo que o primeiro seria na qualidade de jogador cedido pelo FC Porto. Zé Luís iria auferir (e ainda pode acontecer) dois milhões de euros/ano, além de um prémio de assinatura de 500 mil euros.

Terminada a época de empréstimo, o Fenerbahçe pagaria então 6 milhões de euros ao FC Porto, metade do que o avançado custou há um ano.
As condições financeiras preenchiam as aspirações do futebolista, que no FC Porto ganha 1,5 milhões de euros. Ficou de resto claro desde o primeiro instante que o cabo-verdiano só aceitaria sair para um projeto desportivo aliciante e com um salário superior  ao que tem nos azuis e brancos.

Neste momento o caso está neste pé. O FC Porto voltou a encetar diálogo com o Famalicão por Toni Martínez e é expectável que o espanhol seja em breve apresentado nos dragões. A acontecer este cenário nas próximos horas ou próximos dias será urgente encontrar uma solução para Zé Luís.
abola